Cultura Livros para jornalistas

“Planeta Favela” e a explosão da pobreza nas grandes cidades

O urbanista Mike Davis aborda no livro o “perverso boom urbano” e
as complexidades da vida nas favelas sob uma perspectiva
marxista

Por Lino Dias, Lina Santiago e Pedro Simões

O livro Planeta Favela, do urbanista norte-americano Mike Davis, é uma obra
que aborda e faz uma análise profunda sobre o crescimento das cidades e da
pobreza urbana no Terceiro Mundo, incluindo também a China e as nações do
ex-bloco comunista. O autor foca na fase mais recente desse processo,
caracterizada por uma acelerada urbanização. A obra oferece uma visão geral
dos processos relacionados ao “perverso boom urbano” que começou a se
manifestar em meados dos anos 1970 em escala global e adota uma
perspectiva marxista para compreender essas dinâmicas complexas sobre o
tema.
A pobreza urbana tem sido uma questão de interesse tanto para o meio
acadêmico quanto para a opinião pública, assim como para estudiosos,
políticos e jornalistas. Mike Davis aborda esse tema com muita profundidade,
baseando-se em uma rica bibliografia e em dados estatísticos.
Historiador e urbanista, autodenominado marxista, Mike Davis, falecido em 25
de outubro de 2022, destacou-se como um escritor e pensador comprometido
com as questões sociais do mundo. Sua obra mais conhecida é “Cidade de
Quartzo: Escavando o Futuro em Los Angeles”, publicada em 1990, se tornou
um marco da análise urbana. Davis, era tanto um ativista comprometido quanto
um importante historiador e crítico da sociedade contemporânea.
Em Planeta Favela, o autor demonstra que o crescimento da população
urbana no mundo está atingindo um marco histórico, à medida que a população
nas cidades supera a população rural. Essa mudança está ocorrendo de forma
concentrada no Terceiro Mundo. Davis examina os motivos por trás desse
fenômeno, sua distribuição geográfica e as condições de vida da população
que está se urbanizando.
A obra tem suas raízes em um artigo anterior de Davis, intitulado “Planeta de
Favelas: a involução urbana e o proletariado informal”, publicado na New Left
Review
em 2004. Esse artigo, influenciado pelo Relatório Global sobre
Assentamentos Humanos de 2003 das Nações Unidas (ONU), serviu como
ponto de partida para a elaboração do livro.
O Relatório Global sobre Assentamentos Humanos de 2003 previu que a
população urbana, então em torno de 3,2 bilhões de pessoas, poderia chegar a
10 bilhões até 2050, com uma concentração particularmente intensa nas
metrópoles do Hemisfério Sul. Esse crescimento rápido e massivo da
urbanização é uma das questões centrais do livro de Mike Davis, que descreve
os desafios e as complexidades associadas a esse processo global.
Planeta Favela é bastante descritivo e informativo, essencial para compreender
o fenômeno da urbanização e as complexas questões que envolvem a pobreza
urbana. Ao oferecer uma análise detalhada e perspicaz, embasada em uma
sólida pesquisa, revela-se um guia valioso para acadêmicos, pesquisadores,
jornalistas, oferecendo dados e informações oficiais sobre o crescimento das
favelas, sua visão crítica das políticas econômicas globais, permitindo insights
e abordagens sobre o tema, destacando desafios e soluções à um assunto tão
relevante e atual. Mike Davis dá o caminho das pedras para quem quer se
aventurar nesse assunto.
Por envolver muitas questões complexas, tanto sociais, quanto políticas e
econômicas, falta ao livro abordar o outro lado da cidade, suas camadas e sua
dualidade. Porém, isso não impede Mark Davis de abrir espaço para debates e
reflexões sobre o futuro dessa “superurbanização” global.

Planeta Favela. De Mike Davis. Boitempo Editorial, 2006, 272 págs., 60 reais