Capa de "Nada de Novo no Front", livro de Erich Remarque
Cultura Livros para jornalistas

“Nada de novo no front”, um retrato contundente dos horrores da guerra

O romance de Erich Maria Remarque é baseado em sua história de vida, mas tem como protagonista o personagem Paul Baumer, um jovem alemão que é convocado a lutar pelo seu país na Primeira Guerra Mundial

Por Bruna Lopes, Evelyn Dantas, Leticia Trevisan e Felipe Almeida

Nada de Novo no Front é um brutal manifesto anti-guerra que se tornou uma das obras mais importantes da literatura alemã do século XX. Apesar de ficcional, a história é um retrato fiel da realidade de Erich Maria Remarque e de uma geração jovens que se viu obrigada a escolher entre o patriotismo e a própria vida. O romance conta a história do personagem Paul Bäumer, um jovem alemão que se alistou no exército para lutar na Primeira Guerra Mundial.

O autor aborda a crueza e os horrores da guerra com a sensibilidade que o tema requer. A narrativa propõe uma reflexão a respeito do dever patriótico, dando ênfase à romantização da guerra feita por muitos e a construção de uma cultura que a associa à nobreza e ao glamour. Ao contrapor com as reflexões de seus personagens, Remarque mostra a violenta realidade enfrentada pelos que vão, de fato, para o campo de batalha.

        O leitor é apresentado a diferentes tipos de soldados e, tal como Baumer, que vão perdendo a vida gradualmente, durante o confronto armado. As situações relatadas trazem à tona a precariedade a que esses jovens são submetidos, além de materializar a morte que os rodeia.  

        Ficção e realidade se misturam, fazendo da obra um retrato verossímil da guerra. Erich Maria Remarque se baseou em suas próprias experiências na guerra. Isso confere ao livro um tom pessoal e intimista, sobretudo na forma de construção do protagonista com quem o leitor pode criar alguma identificação.

A mensagem de Nada de Novo no Front é tão potente que, para que não servisse de contra-propagada, cópias do livro foram queimadas pelos nazistas durante a Segunda Guerra. Mesmo depois de quase um século do lançamento de Remarque, o tema ainda é pertinente e reforça a importância de prevenir conflitos armados e buscar enfrentar diferenças por meio do diálogo, da diplomacia, mantendo assim a paz entre os países. 

O livro tem muito a ensinar ao jornalismo. O texto ressalta as consequências cruéis da guerra, lembrando aos jornalistas e aos diversos tipos de público de Nada de Novo no Front que não se trata apenas de relatar fatos, mas também de contar as histórias humanas por trás deles. O livro mostra que o jornalismo deve ir além dos números e estatísticas, preocupando-se com as vidas que são afetadas pelos conflitos, muitas vezes à revelia. É uma leitura que faz refletir sobre o papel do jornalismo em contar as histórias que realmente importam.

Nada de Novo no Front. De Erich Maria Remarque. L&PM, 2006, 208 págs., 34,58 reais.