Cultura Entretenimento

Mostra de Cinema reúne cinéfilos de várias gerações

A FACTUAL900 conversou com Renata de Almeida, diretora da mostra de cinema que nasceu em 1977, plena ditadura, e hoje resiste à luta contra o mundo dos streamings

Por Gisela Lammers, Julia Pujar, Rebecca Vergilio e Stefhany Major

“A Mostra de Cinema tem um público muito especial, que se renova todo ano, mas também é fiel.” É assim que Renata de Almeida define uma jornada que já dura 45 anos. Ela é diretora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, evento que faz parte do calendário turístico e cultural brasileiro. “Uma das coisas mais bonitas da Mostra é essa comunidade que se forma. Fazemos a Mostra para as pessoas irem”, emenda Renata. 

Neste ano, a 46ª edição vai até o dia 2 de novembro em 17 salas de cinema de São Paulo e em formato online para alguns filmes. Serão 223 filmes, 10 deles em realidade virtual. Vinda depois de dois anos online, a edição passou por algumas mudanças para voltar ao seu formato presencial. Em entrevista à FACTUAL900, Renata de Almeida lembrou do pioneirismo do evento:  “A Mostra foi um dos primeiros festivais digitais do mundo. Começou em sua 33ª com a Mob, e na época nem foi sucesso, eram poucas as pessoas que tinham internet boa para ver filmes online”. 

A experiência do Mob ajudou os organizadores da Mostra a atravessar a pandemia. “Tínhamos essa experiência, mas ‘foi puxado’. Tivemos que fazer uma plataforma para a Mostra. Ano passado foi híbrido e esse ano é a retomada. Acho que vai ser um grande reencontro da Mostra com o público”, diz a diretora. 

A primeira edição da Mostra ocorreu em 1977, em plena ditadura. Na época, a informação era escassa não só por razões políticas, mas também tecnológicas. Em 2022, em um planeta que se acostumou a ver “cinema” no streaming, os cinéfilos ainda resistem. “Hoje, apesar de se ter acesso a qualquer filme que queira, é tanta oferta que às vezes a pessoa se sente perdida. Sempre digo que a Mostra é um amigo que diz ‘olha, vai ver esse filme, eu gostei, acho que você vai curtir’”. 

46° Mostra Internacional de Cinema em São Paulo
Pôster de divulgação da 46° edição

Em entrevista coletiva realizada em 8 de outubro na Cinemateca, que também está retomando as atividades após a pandemia, Renata de Almeida mediou a conversa entre Rosana Paula de Cunha, representando o Sesc, Lyara Oliveira , diretora da SPcine, e Roberta Corvo, representando o Projeto Paradiso. Na ocasião, puderam discutir os projetos que farão parte da Mostra. 

Iniciando com a apresentação do Sesc, um dos primeiros patrocinadores da Mostra, Rosana comentou como é importante esse apoio, levando em conta a área de projetos culturais do Sesc, em especial após dois anos de pandemia. “É uma satisfação para nós do Sesc continuarmos a fazer essa parceria, em especial porque o Sesc desenvolve, em meio a outras áreas artísticas, o audiovisual. É um trabalho que vem sendo feito com muita resistência, em especial nesses dois últimos anos”, comenta Rosana, que também ressalta a importância da retomada ao presencial após os últimos anos com exibições dos filmes online por meio da plataforma Sesc Digital. 

Sesc na Mostra 

Em relação a atuação do Sesc dentro da 46º edição, Rosana explanou: “Iremos atuar com a sala do Cinesesc, como sempre fazemos, durante toda a Mostra, também com período de repescagem, que já é tradicional e esperado. Além disso, iremos realizar itinerância junto com o programa elaborado especialmente para o Sesc pela Renata e sua equipe”. 

A itinerância a que Rosana se refere é um projeto de levar ao interior de dez cidades interioranas paulistas os filmes da edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, para assim abranger um público ainda maior. 

Sobre o público, Renata comentou em entrevista: “A Mostra tem um público muito especial, que se renova todo ano, mas também é fiel. Acho que uma das coisas mais bonitas da Mostra é essa comunidade que se forma. Fazemos a Mostra para as pessoas irem”. 

Rosana finalizou sua apresentação mencionando a realização de um trabalho de ações formativas voltadas à produção e exibição de filmes em realidade virtual, ambas no Sesc 24 de Maio, localizado no centro da cidade. 

Cinemateca Brasileira
Antes do início da coletiva, os convidados puderam degustar um café da manhã

SPCine na Mostra 

Em seguida, a palavra foi passada à Lyara Oliveira para falar sobre a participação da SPCine, que como Renata destacou, apoia a Mostra desde que foi criada. “A SPCine é a empresa audiovisual da cidade de São Paulo, que através de ações de patrocínio, está próxima de quase todos os eventos audiovisuais da cidade, e sem dúvida a Mostra é um dos mais especiais. É a Mostra que dá uma visibilidade enorme para o nosso audiovisual e ao mesmo tempo traz para a cidade de São Paulo o cinema do mundo”, afirmou Liara. 

Em relação às ações que a empresa promoverá dentro da Mostra, a diretora destacou a retomada das salas do circuito SPCine, assim descentralizando o evento: “Nós, como Prefeitura de São Paulo, entendemos que essa riqueza de conteúdo, de atividades, aconteçam no centro mas cheguem também à periferia da cidade”. Dentre os espaços do circuito, destacam-se o Centro Cultural Tiradentes, o CEU Perus e o CEU Vila Atlântica. “Não é apenas levar os conteúdos. O mais desafiador é colocar esse conteúdo em contexto com os territórios”, comentou.

Lyara também mencionou a ação conjunta ao “Encontro de Ideias” na Cinemateca, com atividades voltadas à profissionalização e criação do audiovisual e que faz parte da programação da Mostra. Dentro da programação do evento, a SPCine conta com 2 painéis, um sobre formação audiovisual e outro com o lançamento da segunda etapa do mapeamento do setor de realidade virtual no Brasil, além do projeto “amplifica cine”, que trará aceleração para 10 coletivos periféricos do audiovisual.  O “Encontro de Ideias” ocorrerá de 26 a 30 de outubro. 

Patrocinadores Mostra Internacional de Cinema em São Paulo
Convidadas da coletiva de imprensa (da direta para esquerda: Rosana Paula de Cunha, Renata de Almeira, Lyara Oliveira e Roberta Corvo)

Projeto Paradiso 

Foi a vez de Roberta Corvo falar sobre a participação do Projeto Paradiso, uma instituição que apoia e trabalha junto com talentos do audiovisual. O foco é oferecer oportunidades a aqueles que estão por trás dos projetos e produções, o que torna a Mostra um local relevante de atuação. A parceria, de ambos os lados, já acontece há 5 anos. “Aqui nossos talentos recebem prêmios. Foi aqui que tivemos nossa pré-inauguração. Então o Projeto Paradiso tem um olhar de muita gratidão à Mostra”, comenta  Rosana.   

Além de apoiar a Mostra, neste ano o Projeto também é co-apoiador do Encontro de Ideias: “O Projeto Paradiso sempre teve esse viés de fazer as pessoas se encontrarem, trocarem ideias e, mais que tudo, fazer o audiovisual ficar profissionalizado. Não há a menor dúvida que temos talento no Brasil, mas ainda temos que caminhar bastante para a profissionalização e acho que o projeto sempre olhou para esse lado”, finaliza.