Avenida Paulista: Top 10 passeios culturais para turistar

Um dia pela mais famosa Avenida do país

Por João Pedro Linhares, Lucas Abdallah, Manuella De Palma, Mariana Laluna, Murilo Alves e Pedro Luz.

Não é novidade que a Avenida Paulista é conhecida por ser o cartão postal da cidade de São Paulo. Os grandes edifícios que a compõem refletem as mais variadas dinâmicas que se interligam no local, desde prédios empresariais, bancos, faculdades, bares e restaurantes. Porém, quando se trata de cultura, você sabe quais são os principais pontos turísticos da Paulista? A Factual900 fez uma lista das Top 10 atrações culturais imperdíveis. Sentiu falta de alguma? Deixe o seu comentário. #ficadica

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é pasted-image-0-1-1024x903.png
Top 10 atrações culturais

1) Cine Petra Belas Artes

R. Da Consolação, 2423

Mesmo que localizado nas redondezas da Avenida Paulista, o cinema Petra Belas Artes merece destaque por ser dos mais clássicos cinemas de rua de São Paulo. Inaugurado em 1956 como Cine Trianon, se manteve aberto graças à diversidade da sua programação que agrega filmes de diferentes nacionalidades e épocas.
Contudo, o cinema conta com uma história um tanto conturbada. Em 2011, ele fechou por falta de investimento. Dois anos depois, com sua fachada tombada como Patrimônio Histórico e Cultural de São Paulo, o Belas Artes foi aberto novamente para o público. Assim, até hoje se mantém ativo pelo investimento da empresa de cervejas Petra.
O cinema atrai o público por sua programação variada que inclui desde os clássicos até os mais novos filmes. É importante ressaltar, também, que seu preço é bem mais acessível que outros cinemas da cidade (principalmente nas segundas-feiras quando o ingresso inteiro é de 20 reais). E claro, sua localização muito próxima ao metrô paulista facilita muito o acesso!
Em 2019, foi lançado o Belas Artes à La Carte, serviço de streaming. Foi a forma de levar a programação diferenciada do cinema para outros públicos. O custo é de 9,90 reais por mês. Há ainda a opção de alugar filmes individualmente.

2) IMS

Avenida Paulista, 2424

O Instituto Moreira Salles (IMS) já é o templo da fotografia em São Paulo. O local abriga uma biblioteca fotográfica de mais de 30 mil itens. Até outubro, acontece a primeira grande retrospectiva de Daido Moriyama, com mais de 200 fotos e 30 anos de fotografia e campo das artes. Trata-se da primeira escultura em visitação permanente na América Latina de Richard Serra, Echo.
Com entrada gratuita, de terça-feira a domingo, o IMS é um local de atrações quase todas gratuitas. No entanto, a única exceção são as sessões de cinema, nas quais o ingresso é pago, mas têm um preço bem acessível e com diversas opções de meia entrada. O local, inaugurado em 2017, conta com uma arquitetura inovadora, muito procurada por quem quer ver a incrível vista do mirante do prédio. Conta também com salas de aula, café-restaurante e lojas livrarias.
Desde sua fundação em 1986 em Poço de Caldas (MG), o IMS tem como principal compromisso espalhar a cultura da fotografia, música, literatura, iconografia e cinema de artistas brasileiros e internacionais.

3) Méqui 1000

Avenida Paulista, 1811

Bateu a fome? Inaugurado no final do ano de 2019, o Méqui 1000 se tornou um dos principais pontos turísticos da Avenida Paulista. O casarão, que hoje corresponde à milésima unidade da empresa McDonald ‘s no Brasil, surgiu como moradia de imigrantes, já foi sede de bancos e até casa de eventos. Toda a sua história explica a sua decoração de estilo colonial e clássico, com detalhes em mármore, colunas de ordem toscana e balaústres.
Apesar da estética nada padronizada das demais unidades da rede de fast food, a proposta do Méqui 1000 é refletir a ideia de contemporaneidade, seja pela sua ornamentação ou pela própria tecnologia que o lugar apresenta. Além de um cardápio exclusivo do estabelecimento, de uma forma bastante inovadora, os pedidos podem também ser retirados na proṕria mesa, feitos através de totens ou até por meio de uma esteira drive-thru.
Com espaços instagramáveis e áreas verdes, o local não apenas é uma boa opção de restaurante, mas também um ambiente que oferece uma diferenciada experiência sensorial e interativa. O local tem capacidade máxima de 300 pessoas, e o atendimento é 24h.

4) MASP

Avenida Paulista, 1578

O Masp, museu mais famoso do país , é responsável por chamar a atenção de qualquer um desde a sua área externa. O edifício foi uma obra de Lina Bo Bardi, que ousou adotar técnicas exímias da arquitetura moderna e explorar a oposição entre diferentes aspectos da forma mais sutil e inovadora possível.
Desde o uso de materiais como o vidro e o concreto, que remete uma estratégia de conciliação entre a leveza e prudência, até a sua construção em suspensão e o famoso “vão livre”, que busca misturar as concepções de um museu privado com a intenção da existência de um espaço público e de troca plural, o Museu de Arte de São Paulo revela-se como um ambiente de extrema riqueza cultural e artística.
Já em seu interior, o primeiro museu moderno do Brasil conta com exposições, palestras, cursos, seminários e um acervo de mais de 1.000 obras de renomados artistas como Van Gogh, Picasso, Anita Malfatti, Portinari e outros. Atualmente, encontram-se em cartaz as exposições de Luiz Zerbini, Volpi Popular, Abdias Nascimento e Letícia Parente. Mais informações podem ser acessadas no site https://www.masp.org.br/
Seu horário de funcionamento é de quarta à domingo, das 10h até 18h, com entrada em seu preço integral por R$ 50. Já às terças, das 10h até 20h, a entrada é franca.

5) Centro Cultural Fiesp

Avenida Paulista, 1313

O Centro Cultural Fiesp é mantido pela indústria paulista e administrado pelo Sesi-SP. Em suas dependências recebe mais de 200 mil visitantes por ano, que prestigiam diferentes manifestações artísticas e culturais. O local funciona de quarta a domingo, das 10h às 20h, e é acessível para todos, disponibilizando rampa de acesso pela Avenida Paulista, elevadores, banheiros e entradas especiais para cadeirantes em todos os seus espaços.
O Educativo do Centro Cultural Fiesp oferece, gratuitamente, visitas mediadas nas suas exposições, estabelecendo diálogos a partir da percepção, interpretação e compreensão dos trabalhos. O público espontâneo pode visitar a Galeria de Arte, a Galeria de Fotos e o Espaço de Exposições, além da possibilidade de agendar uma visita para todos os espaços expositivos. Todos os horários e exposições disponíveis estão presentes no site http://centroculturalfiesp.com.br/sobre-centro. Vale ressaltar que todos os ingressos dos eventos culturais do SESI-SP são gratuitos, e que sua venda é proibida.

6) Reserva Cultural

Avenida Paulista, 900

O Reserva Cultural se diferencia de outros cinemas por seu conceito pioneiro e ainda hoje único no Brasil ao reunir diversas opções culturais num lugar só. Além dos melhores filmes em cartaz, você encontra o restaurante Reserva Bistrô, a livraria Reserva, o café-boulangerie Pain de France, e uma agenda de eventos agitada como pré-estreia, exposições e eventos corporativos. Desde sua inauguração, o cinema se destaca pela frequência e a qualidade de seus eventos. O espaço recebeu dezenas de pré-estreias de filmes com atores, diretores e produtores – brasileiros e estrangeiros, e recebe diversos festivais de cinema anualmente.
A programação se dedica a filmes de qualidade, nacionais e estrangeiros, privilegiando títulos independentes e fora do circuito comercial que se destacam em festivais pelo mundo. Esta seleção feita por amantes do cinema rendeu ao Reserva Cultural por cinco anos consecutivos o Prêmio de “Melhor Programação” no Oscar das Salas de Cinema (Guia do Estado de São Paulo). Também foi eleito “Melhor Cinema” pelos leitores da Revista Época e também “Melhor Ambiente“, pela Folha de S.Paulo. O cinema oferece também aos seus frequentadores um Cartão Fidelidade.

Veja o vídeo da Factual900 com os principais cinemas de rua da Paulista:

7) Itaú Cultural

Avenida Paulista, 149

O Itaú Cultural, concebido por Olavo Egydio Setúbal em 23 de fevereiro de 1987, é um instituto voltado para o incentivo e valorização da cultura heterogênea presente no Brasil. O espaço conta com diversas exposições culturais temporárias e permanentes que com o auxílio de diversos artigos, pinturas e documentos históricos, ajudam a contar de maneira leve e divertida parte da história de nosso país.
Centro de referência cultural há 35 anos, o espaço conta ainda com salas de teatro, cinema, espetáculos musicais e projetos artísticos. Todos os eventos são gratuitos. Para ver os espetáculos, é preciso pegar os ingressos com meia hora de antecedência na bilheteria. Eleito pelo Great Place to Work Institute (GPTW) como uma das cem melhores empresas para se trabalhar no Brasil, o Itaú Cultural fica aberto de Terças às Sextas-feiras das 9h às 20h. Sábado e Domingo das 11h às 20h.

8) Sesc Paulista

Avenida Paulista, 119

O Sesc Paulista é um centro de cultura e lazer que foi inaugurado em 29 de abril de 2018. O prédio que antes abrigou a administração do Sesc entre 1978 a 2005, foi reformado por oito anos, de 2010 a 2018, para receber o público. Desse modo, a reestruturação da unidade criou espaços integrados com a proposta de se tornarem uma extensão da Avenida Paulista: portas abertas e um convite para que a população ocupe e aproveite o espaço e a programação cultural do Sesc.
A construção possui biblioteca com mais de 5.400 títulos, cafés, cursos, exposições, espaços para crianças e seu famoso e disputado mirante no topo do 17° (e último) andar. Nele, há também um espaço de alimentação com um cardápio variado e com preços acessíveis, onde é possível ver a Avenida Paulista por toda sua extensão. A entrada é gratuita para todas as idades, porém é preciso um agendamento prévio pela Central Digital de Relacionamento do Sesc ou pelo aplicativo Credencial Sesc SP.

9) Casa das Rosas

Avenida Paulista, 97

Uma mansão projetada em 1935 pelo arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo, restaurada pelo Estado de São Paulo e transformada em espaço cultural, a Casa das Rosas entrou em funcionamento em 1991 na Avenida Paulista. É a opção perfeita para os amantes de poesia e literatura. Lá você encontra cursos, oficinas de criação e críticas literárias, palestras, ciclos de debates, lançamentos de livros, apresentações literárias e musicais, saraus, peças de teatro, exposições ligadas à literatura etc.
A casa é conhecida por dar espaço a escritores não reconhecidos. Além de tudo, o local oferece cursos para aqueles que querem aprimorar sua escrita e aprofundar seu conhecimento. Sua agenda também conta com eventos especiais toda semana, e os dias e horários são encontrados no site https://www.casadasrosas.org.br/agenda/.
A Casa das Rosas fica aberta todos os dias das 7h às 22h, podendo ter alterações no horário em feriados. Não é cobrado nenhum valor para a entrada.

10) Japan House

Avenida Paulista, 52

Culinária, literatura, exposições e eventos temáticos, tudo isso na Japan House, principal casa de difusão da cultura japonesa no Brasil. Inaugurada em abril de 2017, com sua fachada construída em hinoki, cipreste japonês, com mais de 70 anos de idade, e painéis em malha coberta com washi, papel japonês artesanal, o centro cultural é um fenômeno em termos de público. Em menos de 3 anos, atingiu a marca de 2 milhões de visitantes.
A Japan House possui duas lojas, a Shin, que procura representar as diferentes regiões do Japão por meio de produtos que remetem os cinco sentidos – paladar, audição, visão, olfato e tato. E a outra é a Furoshiki, que trabalha com um tecido tradicional japonês que dá nome à loja e é utilizado para a confecção de bolsas, roupas de ginástica, entre outras coisas.
Na Japan House você também encontra o restaurante Aizomê, da chef Telma Shiraishi. Segue a gastronomia japonesa, com pratos preparados com ingredientes minuciosamente selecionados. O cliente pode viajar pelo menu autoral da chef que mescla pratos quentes e frios. A Japan House fica aberta de terça à sexta das 10h às 18h, nos sábados das 9h às 19h e nos domingos das 9h às 18h. A entrada é gratuita todos os dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.