Reprodução de uma tela do aplicativo BeReal
Cidades

BeReal: dá para ser real com a nova rede social?

Entenda como funciona o aplicativo e descubra por que a nova rede social faz sucesso entre os jovens

Por Carolina Galimberti, Flávio Z. Ferrari, Giovanna Almeida, Maria Eduarda Cardim, Miguel Sales e Sophia Rabassi

A rede social BeReal foi criada na França em 2020, mas viralizou entre os jovens só neste ano. O propósito do app é explícito pelo nome que recebe, “seja real”. O BeReal é simples: uma vez por dia, em horários aleatórios, os usuários da rede social recebem uma notificação avisando que é “time to be real” (é hora de ser real). A partir desse momento, você tem dois minutos para tirar uma foto com a câmera frontal e traseira simultaneamente. O intuito é mostrar para seus amigos o que está fazendo de forma natural e espontânea. Na página inicial, você pode reagir às fotos de seus amigos e também tem acesso a um feed global, onde aparecem imagens aleatórias de usuários ao redor do mundo.

As fotos são sem efeito, sem cenário, sem iluminação, apenas a “realidade”. Caso você perca a hora da notificação e não publique uma imagem no horário, ao entrar no aplicativo para ver seu feed, as fotos dos seus amigos ficam borradas. Elas só se tornam visíveis após tirar sua foto diária.

Outro diferencial do novo app francês em comparação a outras redes é que não há seguidores no BeReal, mas amigos. Todos eles podem ver e reagir às suas fotos, promovendo uma timeline menor para os usuários. Por ser uma rede apenas com conhecidos, sem famosos e influencers, a ideia é promover um espaço de intimidade, favorecendo ainda mais a naturalidade e espontaneidade das fotos tiradas no app.

  Fonte: Reprodução

POR QUE FAZ TANTO SUCESSO?

O BeReal é diferente do que estamos habituados a ver no Instagram e no TikTok, onde tudo é postado com planejamento, roteiro e edição. Nessas plataformas não há naturalidade. Só é postado aquilo que querem que os seguidores vejam ou o que irá gerar um maior engajamento, sendo grande parte das fotos e vídeos montados e produzidos. O novo app pretende romper com o mundo enganoso e utópico condicionado pelas outras redes sociais.

A espontaneidade das fotos repercutiu de maneira positiva e resultou na intensa adesão do público à nova tendência. Além do mais, a sua propaganda começou nas universidades, o que facilitou a popularização entre os jovens. Dessa forma, o BeReal se difundiu rapidamente, chegando a 20 milhões de downloads em julho de 2022.

A curiosidade é a principal motivação para o BeReal. Os franceses Alexis Barreyat e Kévin Perreau, fundadores do aplicativo, decidiram só permitir ver as postagens de quem você segue a partir do momento que fazer sua postagem diária. Com uma timeline curta, o tempo de uso do aplicativo é muito mais baixo do que dos restantes. Assim, os usuários podem entrar no BeReal de duas a três vezes por dia e realizar as suas outras tarefas do dia. Em entrevista ao portal de notícias “Protocol” a assessoria de imprensa de Barreyat disse que o francês teve a ideia do aplicativo durante um trabalho como produtor de vídeo da “Go Pro”.

“Toda vez que ele abria o instagram, era lotado de anúncios e influenciadores e a vida perfeita de todos. Sua vida não era tão perfeita como eles sempre mostravam”.

O público abraçou a ideia. Poder postar fotos de maneira não superficial, e ver os seus amigos aparecendo da mesma forma, além de divertido, é libertador. 

UMA REDE SEM FILTROS

O aplicativo é como um refúgio de todos os padrões e estéticas impostas pelas outras plataformas digitais, sendo um espaço onde você não precisa ser 100% perfeito o tempo inteiro. A ausência de filtros e possibilidade de edição demonstram o perfil do aplicativo. Até mesmo as variadas tentativas para que saia uma foto que agrade é indicada para seus amigos ao fazer a publicação, o que revela as condições “anti-Instagram”. A competição por alcance e engajamento tem pouco valor, já que não há curtidas nem contagem de seguidores.

A nova rede social chega com a promessa de desbancar os problemáticos paradigmas digitais: a auto comparação insaciável e a ansiedade, resultante dos julgamentos e da busca pela aprovação. A comparação chega a ser tão extrema e tóxica ao ponto de afetar a saúde mental de diversas maneiras. A padronização de uma estética inalcançável e ilusória reafirmada pelo mundo digital, desencadeou questões como a baixa autoestima e a distorção da imagem corporal.

O QUE OS JOVENS TÊM A DIZER?

Não há maneira melhor de entender a ascensão da plataforma, se não pelos pensamentos dos usuários. Uma vez que a rede foi viralizada por universitários, eles se tornam entrevistados relevantes. Pedro Hernandes, de 19 anos, estudante de jornalismo, ficou sabendo da plataforma por uma amiga que disse que o aplicativo estava famoso nos Estados Unidos e logo bombaria no Brasil.

“Eu baixei em abril, antes era mais legal, tinham poucas pessoas na rede e era mais fácil de interagir com os amigos”, diz Pedro.

Sobre a rápida popularização entre os jovens, ele acredita que o grande motivo seja a falta de tempo dos mais velhos para utilizar o aplicativo de maneira regular e constante. Além do interesse jovial que não há em outras faixas etárias.

Assim como Pedro, Isabel Almeida, de 20 anos, também estudante de jornalismo, ficou sabendo do BeReal por uma amiga. Ela baixou em junho de 2022 e acredita que a espontaneidade e ausência de filtros seja o maior diferencial do aplicativo.

“A gente [os jovens] gosta mais de se expor e temos contato com as redes sociais desde muito cedo. Quando a gente não está fazendo nada, postamos um BeReal e esperamos a reação de nossos amigos”, conta Isabel.

NOVA ERA?

Uma rede sem filtros, focada em fotos e não vídeos, com uma timeline menor e focada nos amigos do usuário e, acima de tudo, mais espontânea, ganha destaque por ir contra a chamada “Tiktokização” das redes sociais. Mas a internet segue uma velocidade completamente diferente. É um mundo extremamente acelerado e flexível, que segue em um fluxo constante de evoluções e transformações. Não é impossível que a hoje considerada “alternativa” BeReal se torne a nova moda ou tendência em um futuro próximo.

Um exemplo disso é que a empresa chinesa “ByteDance”, proprietária do TikTok, lançou, no dia 15 de setembro, o chamado “TikTok Now”. Nos EUA e em diversos outros países, versões do TikTok procuram mimetizar as premissas do BeReal: sem filtros, sem vídeos, uma notificação em um momento aleatório do dia, ativando câmeras frontal e traseira do celular do usuário, buscando uma maior autenticidade.